10 de set de 2013

Paracetamol - Associação com o risco de reações cutâneas graves


A agência americana FDA (Food and Drug Administration) publicou um alerta sobre reações cutâneas raras, porém graves relacionadas ao uso de paracetamol, analgésico amplamente utilizado em todo o mundo. Embora raras, as possíveis reações relacionadas ao uso de paracetamol são: pustulose exantemática aguda generalizada (PEAG), síndrome de Stevens-Johnson (SSJ) e necrólise epidérmica tóxica (NET), sendo que as duas últimas geralmente necessitam de hospitalização e podem ser letais.
As reações geralmente começam com sintomas de gripe, seguidos por erupção cutânea, bolhas e lesões extensas à superfície da pele. A recuperação pode levar semanas ou meses, e possíveis complicações incluem cicatrizes, mudanças na cor da pele, cegueira e danos aos órgãos internos. As pessoas que desenvolverem erupção cutânea ou outra reação na pele ao tomar paracetamol devem interrromper o uso do medicamento e procurar atendimento médico imediato. Indivíduos que já apresentaram alguma reação cutânea após utilizar o paracetamol não devem utilizar esse medicamento novamente.
O FDA ressalta que esta nova informação não se destina a preocupar consumidores ou profissionais de saúde, nem a estimular a escolha de outros medicamentos, mas permitir o reconhecimento dos sintomas iniciais raros, afim de que se evitem os efeitos secundários graves, que são potencialmente fatais. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa esclarece que, até o momento, não houve geração de sinal de risco sanitário, no banco de dados do sistema de notificação da agência, relacionado ao uso do paracetamol e a ocorrência das reações cutâneas graves mencionadas neste alerta.
Outros medicamentos usados para tratar dor e febre, tais como anti-inflamatórios não-esteróides (AINEs), incluindo o ibuprofeno e naproxeno, e dipirona, muito utilizada no Brasil, já carregam advertências sobre o risco de reações cutâneas graves.
A Anvisa reforça ainda a necessidade da promoção do uso seguro e racional de medicamentos e solicita aos profissionais de saúde que notifiquem especialmente as suspeitas de reações adversas graves a qualquer medicamento pelo sistema NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm.
Para ler o alerta publicado pelo FDA na íntegra, clique aqui.  

Boa leitura,
Equipe CIM-RS.


- Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Disponível em: www.anvisa.gov.br. 
-  FDA Drug Safety Communication. Disponível em: http://1.usa.gov/15jGt2v.               

Nenhum comentário: