29 de jun de 2016

Queimaduras: o que fazer?



Junho é mês de festas juninas e em algumas regiões do país, estas festas adentram o mês de julho. Devido ao aumento do número de acidentes nestas épocas, em 2009 foi sancionada a lei n° 12.0261 que cria o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras, comemorado em 6 de Junho. Porém, as queimaduras não acontecem somente nestas épocas e devemos estar atentos também aos acidentes domésticos, principalmente envolvendo crianças. A Sociedade Brasileira de Queimaduras estima que 1 milhão de casos de queimaduras aconteçam por ano no Brasil, destes 300 mil ocorrem com crianças2,3. As queimaduras podem ser causadas por vários agentes, como o calor, eletricidade e agentes químicos3,4,5.
As queimaduras são classificadas de acordo com o grau da lesão em queimaduras de primeiro grau, segundo grau ou terceiro grau2,3,4, sendo as de primeiro grau aquelas que deixam o local vermelho mas não causam bolhas, as de segundo grau aquelas que atingem uma camada mais profunda da pele, provocando bolhas e as de terceiro grau, podem atingir a pele, músculos, gorduras e até os ossos, sendo bastante graves2,4. O autocuidado em caso de queimaduras visa diminuir a dor e o inchaço, proteger a área queimada e evitar infecções e cicatrizes5.
- O que deve ser feito em caso de queimaduras de primeiro grau? O primeiro cuidado é afastar o agente causador da queimadura (calor, eletricidade, agentes químicos)2,6, e lavar o local com água corrente2,4 à temperatura ambiente (nunca gelada)2,5,6 até que a lesão esteja resfriada2. Observe os possíveis sinais de infecção local (piora da dor, eritema e edema persistente, e presença de secreção amarela e pus). Se estes sinais forem observados, procure orientação médica. Deve-se ingerir bastante líquido, usar filtro solar regularmente e utilizar analgésicos, se necessário7.
Em casos de queimaduras de segundo e terceiro grau, buscar ajuda de um profissional da saúde (Posto de Saúde, Samu ligando para o 192, Bombeiros ligando para o 193 ou Emergência Hospitalar)2,4,6.
Existem inúmeras crenças populares a respeito do tratamento das queimaduras, como passar pasta de dente, óleo de cozinha, folhas de trigo, manteiga, pomadas, entre outros. Contudo, essas ações podem trazer danos a pele.
- Então, o que não fazer? Não passe nenhum produto ou receita caseira2, não estoure e não esvazie as bolhas2,5, evite tecidos que possam grudar no ferimento, como algodão2,4, e não tire a roupa do paciente queimado4 (deve-se molhar a vestimenta até a chegada do socorro)2. Evite a aplicação de qualquer pomada ou medicamentos naturais2, cremes refrescantes6, cânfora5, mentol5, hidratantes6 e qualquer medicação não prescrita4, pois esta medida pode agravar a lesão, dificultar o diagnóstico2,4 e aumentar o risco de infecção, uma vez que que a pele está debilitada2.
Em todos os casos, a prevenção é o melhor remédio:  evite fumar perto de produtos inflamáveis; mantenha velas acesas longe de botijões de gás, de solventes, de roupas e das crianças; evite usar toalhas de mesa compridas, pois as crianças podem puxá-las; ao sentir cheiro de gás feche os registros, abra as janelas e não acenda fósforos ou isqueiros; teste a temperatura dos alimentos antes de oferecer aos pequenos, nunca retire um pipa presa em fios de alta tensão; jamais tente pular uma fogueira; se afaste de alguém que estiver mexendo com fogo2.
O Ministério da Saúde disponibiliza para os profissionais da saúde a Cartilha para Tratamento de Emergência para Queimaduras. Para mais informações sobre a cartilha, clique aqui.

Texto elaborado por Jacqueline Weis Bonfanti, revisado por Tatiane Dal Pizzol.

REFERÊNCIAS
  1. BRASIL. Lei nº 12.026/2009. Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12026.htm. Acessado em 08 de junho de 2016.
  2. Sociedade Brasileira de Queimaduras. Disponível em: http://sbqueimaduras.org.br/. Acessado em 08 de junho de 2016.
  3. BRASIL, Ministério da Saúde. Cartilha para Tratamento de Emergência para Queimaduras. Disponível em: http://sbqueimaduras.org.br/wp/wp-content/uploads/2013/04/Cartilha_MS_2012.pdf. Acessado em 08 de junho de 2016.
  4. Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Disponível em: https://www.sbcd.org.br/pagina/1720. Acessado em 15 de junho de 2016.
  5. KRINSKY, D.L.; BERARDI, R.R. (Ed.). Handbook of Nonprescription Drugs. 17 ed. Washington: AphA, 2012
  6. Vale, Everton Carlos Siviero. Primeiro Atendimento em queimaduras: a abordagem do dermatologista. An Bras Dermatol. 2005;80(1):9-19. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v80n1/v80n01a03.pdf. Acessado em 15 de junho de 2016.
  7. Sociedade Brasileira de Dermatologia. Disponível em: http://www.sbd.org.br/orientacoes/queimaduras/. Acessado em 16 de junho de 2016.

Nenhum comentário: