7 de ago de 2013

Pergunte ao CIM-RS: AINEs e dipirona em dengue



A dengue, um grave problema de saúde pública no Brasil, é uma doença febril aguda, causada por um vírus transmitido por artrópodes hematófagos, sendo o mosquito Aedes aegypti o de maior importância. Existem pelo menos quatro tipos sorológicos distintos do vírus, designados Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4. A infecção pelo vírus da dengue causa uma doença de amplo espectro clínico, incluindo desde formas oligossintomáticas até quadros graves, podendo evoluir para o óbito.
Na apresentação clássica, a primeira manifestação é a febre, geralmente alta (39ºC a 40ºC), de início abrupto, associada à cefaléia, adinamia, mialgias, artralgias e dor retroorbitária. O exantema clássico, presente em 50% dos casos, atinge face, tronco e membros de forma aditiva, não poupando plantas de pés e mãos, com ou sem prurido, frequentemente no desaparecimento da febre. A febre hemorrágica da dengue, apresentação mais grave da doença, pode ser produzida por qualquer um dos quatro sorotipos virais. A exposição prévia a vírus distintos aumenta a possibilidade de sua ocorrência quando se é exposto a um novo sorotipo. 
Não há tratamento específico para a dengue. A hidratação é fundamental e está indicada em todos os casos, podendo ser feita por via oral (com água, soro caseiro, água de coco) ou venosa, dependendo da fase da doença. A medicação é apenas sintomática, com analgésicos e antitérmicos. Sabe-se que o Ácido Acetil Salicílico (AAS) e seus derivados estão contraindicados porque podem interferir no processo de coagulação agravando o quadro da doença.  Nesse contexto, o “Pergunte ao CIM-RS” dessa semana responde: “AINEs e dipironatambém estão contraindicados em dengue?”.Confira a resposta na íntegra, clicando aqui.

Para saber mais sobre o diagnóstico e manejo clínico da dengue, clique aqui e acesse publicação do Ministério da Saúde sobre o tema.



Boa leitura,
Equipe CIM-RS.

Nenhum comentário: